Categorias
Gestão de Arenas

As diferenças entre a Arena do Grêmio e a Arena do Palmeiras

Paulo Vinicius Coelho fez uma análise comparativas em os 2 projetos, Arena Palestra e Arena do Grêmio. 

As obras da Arena Palestra pararam na manhã desta quarta-feira. Apenas 50 funcionários compareceram à construção, para manter a segurança. Na terça-feira, o presidente do Palmeiras Arnaldo Tirone, disse que o problema continuava sendo a falta de garantias do clube e o seguro-garantia de 38%. Afirmou também que outras obras, como a Arena do Grêmio, teriam seguro superior a 50%. À noite, ao LANCE!, Tirone disse que deve assinar a ratificação da escritura nesta quarta-feira. Se isso acontecer, as obras voltam ao ritmo normal na quinta.

Há várias diferenças entre as duas Arenas, a gremista e a palmeirense. O seguro não é uma delas. A Arena do Grêmio tem término previsto para dezembro de 2012 e o seguro-garantia é de 20%. Deve ser o estádio mais moderno do Brasil, a partir de 2013.

Veja, abaixo, as diferenças entre os dois projetos.

ARENA PALESTRA ARENA DO GRÊMIOPrevisão de inauguração – Março de 2013 Dezembro de 2012
Construtora – W. Torre OAS
Capacidade – 45 mil espectadores 60 mil espectadores

O TERRENO ARENA GRÊMIO – A Arena do Grêmio está sendo construída no Bairro Humaitá, na zona norte de Porto Alegre, pela construtora OAS. Em troda da construção, o Grêmio deu o terreno no bairro Azenha, região nobre da capital gaúcha e só se muda para o bairro Humaitá, quando o novo estádio estiver pronto. Nesse momento, a OAS faz a demolição do Olímpico e ergue um shopping center, do qual o clube será sócio.

ARENA PALESTRA – Será erguida no bairro da Água Branca, zona oeste de São Paulo, no mesmo terreno onde hoje está localizado o Palmeiras, em região nobre da capital paulista. Uma vez assinada a ratificação da escritura, a W. Torre passa a ter direito ao uso de superfície. Em outras palavras, não será dona do terreno, mas terá o direito de explorar o que for construído acima dele.

MODELO DE NEGÓCIOARENA GRÊMIO – O contrato é de 20 anos e, nesse período, há um contrato de uso de superfície em nome da OAS. Como o clube deu o terreno na Azenha para a OAS, terá direito a 100% do que for arrecadado no novo estádio nos primeiros sete anos. A partir daí, o Grêmio terá direito a 65% da arrecadação. A OAS terá direito a 35%.
Essas porcentagens valem também para os jogos de futebol, ou seja, a OAS terá direito a 35% da renda líquida das partidas por um período de 13 anos.

ARENA PALESTRA – O contrato é de 30 anos. Palmeiras e W. Torre dividirão as receitas de vendas de camarotes e das lojas no estádio.
Como o Palmeiras não cedeu o terreno, a W. Torre terá a maior parte da receita líquida da venda de camarotes, shows e lojas durante os trinta anos da vigência do contrato.
Mas as rendas dos jogos de futebol serão exclusivamente do Palmeiras.
Das receitas fora do futebol, o Palmeiras terá direito a 5% nos primeiros cinco anos, 10% do sexto ao décimo ano , 15% entre o 11o e o 15o anos, 20% do 16o ao 20o ano, 25% do 21o ao 25o ano, 30% do 25o ao 30o. ano e 100% a partir daí.

QUEM ADMINISTRAARENA GRÊMIO –Segundo o clube, o estádio Olímpico dá hoje lucro de R$ 7 milhões. A OAS garante esse valor mínimo ao Grêmio, que paga a manutenção do estádio. Como a divisão da receita líquida oferece 35% à OAS e 65% ao Grêmio, o custo de manutenção se diluirá nesse montante.

ARENA PALESTRA – O Palmeiras não tem custo durante os 30 anos de contrato. A W. Torre arca com a manutenção do novo estádio. No ano passado, o custo do Parque Antártica era de R$ 9 milhões anuais.

O Palmeiras não tem risco. No caso da Arena Palestra, se o projeto não se pagar, o ônus dos 30 anos é da W. Torre. O Grêmio corre um risco pequeno. Por exemplo, se o shopping center na Azenha não funcionar, ele é sócio no prejuízo. O mesmo vale para o estádio.

SHOWS x JOGOS
ARENA GRÊMIO – A cada final de ano, aprova-se o calendário da temporada seguinte. O Grêmio reserva todas as datas de seu calendário de jogos. As partidas têm prioridade sobre qualquer outra atividade. Em comum acordo, as duas partes podem acertar um espetáculo. Por exemplo, se houver possibilidade de um show do U2 e as duas partes concordarem que o lucro é importante, marca-se o show. Nesse caso, o Grêmio procura outro estádio para jogar.

ARENA PALESTRA – O Palmeiras reserva as datas de jogos de seu calendário do ano seguinte. Mas a W. Torre administra o estádio e pode agendar outros tipos de espetáculo. Nesse caso, o Palmeiras precisa encontrar outro palco para um jogo eventual, como tem acontecido com o São Paulo, no Morumbi. Nesse caso, a W. Torre paga as despesas do Palmeiras com o estádio alugado.

Fonte: ESPN – Paulo Vinícius Coelho – http://m.espn.com.br/blg-col-noticiaip.php?id_bc=191113

Deixe uma resposta